IoT também presente nas telonas!

IoT também presente nas telonas

Confesso que fiquei emocionada ao deparar com o MC Donalds do shopping do meu bairro todo modificado!

Num estilo mais moderno e com novidades!

Descobri há 2 anos o que era o Digital Signage, foi numa visita ao showroom da Samsung e pude degustar diversas aplicações, fiquei impressionada.

Para você ter uma ideia do que estou falando, havia uma das telas que rodava conteúdo mas quando você chegava perto, ela virava um espelho e era possível uma interação minha com espelho e a interatividade era diferente quando havia uma figura masculina no espelho, foi uma experiência impactante. O ambiente era uma loja de roupas e acessórios.

roupas e acessórios

 

Quero neste artigo, passar uma visão macro, do meu ponto vista, como eu vejo as oportunidades dessa tecnologia com o IoT.

Se você não sabe o que o Digital Signage, é uma tela profissional (ou seja, tipo uma televisão mas muito mais sofisticada e resistente) com recursos computacionais, que permite inteligência aplicada e conectividade. A partir do momento que colocamos esta “coisa” em rede, podemos considerar como sendo um dispositivo IoT.

No caso do MC Donalds, conseguimos interagir com a telona para fazer nosso pedido, sem contato com atendente. Especialmente agora que estamos com o cardápio adicional, diferente do usual, que são os lanches da Copa do Mundo. Não temos mais que perguntar o que tem no lanche do país tal, é só clicar e acessar em detalhes todos os ingredientes, e não é só isso, se quiser tirar algum item do pedido (argh… o pickles), você mesmo indica pelo Totem, e fica registrado/documentado, não tem mais a desculpa quem errou quando o seu lanche não vem na customização solicitada.

inteligência aplicada e conectividade

 

Porém, o resultado que considero mais significativo é ganho em tempo, processo, mão de obra, planejamento, custo, sustentabilidade, logística, atendimento, experiência e customização.

Vamos falar sobre cada um deles:

  • Ganho em tempo:  o tal do time to marketing. Imagina que a concorrência faça alguma oferta especial e o varejista precise rapidamente se posicionar, com apenas um clique, do escritório administrativo, uma pessoa consegue inserir em todas as telas da rede uma nova promoção. Eu disse, todas as telas da rede! 🙂
  • Processo: veja que, sem a tecnologia, as redes varejistas ficam 100% dependentes de ações manuais. Todo dia, no caso do MC Donalds, funcionários, no mínimo 2 por estabelecimento, tem que trocar manualmente o quadro do lanche do dia.
  • Mão de obra: afeta toda a rede. Com menos trabalho, você pode readequar o quadro de funcionários. O impacto não é limitado ao ponto de venda, a área de compras e marketing, dispensa esforço extra para compra e aprovação do material físico.
  • Planejamento: riscos e oportunidades. Novos lançamentos ou promoções precisam ser planejados e detalhados com meses de antecedência no processo antigo. O planejamento é muito maior, pensa a dor de cabeça, risco de comprometimento da imagem se a peça física sai com erro e há planejado propaganda de lançamento em rede de TV e outros meios de abrangência nacional? É isso acontece! Ainda no caso acima, considerando que as peças foram entregues no PDV (ponto de venda), dá para calcular o custo adicional não previsto de logística reversa? Vamos pensar no modelo com Digital Signage, o que acontece se um erro de grafia for detectado? É só mandar para o designer da agência, corrige e, em segundos, sim eu disse segundos, tudo certinho no ar novamente.
  • Custo: Lógico que o investimento numa tela profissional não é o mesmo de uma confecção de painéis físicos, porém, você investe uma vez e aproveita por década. É possível mensurar o ROI (Retorno Sobre Investimento). E, como tenho visto e comprovado em todas as aplicações IoT, sempre tem surpresas boas depois, não previstas, não vistas. Ainda como referência no nosso exemplo, o varejista já se posicionou e está a frente para as novas evoluções, poderá permitir em breve que haja outros tipos de interação do cliente, por exemplo, poderei mandar uma mensagem falando sobre como foi a refeição, tirando uma foto e até promover gamification. Eu fico maravilhada quando chegamos nessa discussão, onde a criatividade entra e as novas opções ficam apenas no limite de até onde nossa imaginação possa alcançar.
  • Sustentabilidade: não sei até onde você conhece, acompanha ou contribui para minimizar os riscos do planeta em relação ao tema sustentabilidade. Mídia impressa, é geralmente em papel ou plástico, além do uso de química para colorir as peças. Se, você como eu, procura fazer sua parte, por exemplo, de cancelar o recebimento das contas a pagar impressa para receber no e-mail, simplesmente porque entende que a economia vai, além do papel, mas também da impressão, gasolina gasta no transporte físico e outros… agora, compare o impacto ambiental de economia e proteção dos recursos sustentáveis em pequenas ações corporativas. Neste meu trabalho, de divulgar e incentivar o IoT, o tema sustentabilidade é o que me dá mais orgulho da contribuição que a Internet das Coisas traz.
  • Logística: se você vive em região metropolitana sente na pele o stress de locomoção, imagina quem trabalha no setor, onde além do tempo de locomoção, enfrenta outras dificuldades em nossas estradas e estão expostos a todo tempo a riscos de assaltos, acidentes. Talvez seja por isso que a mão de obra do setor é cada vez mais escassa e, consequentemente, o custo aumenta. Há custos extras, taxas e impostos para transportar o físico quando comparado com digital, reflita e inclua também, quando for fazer seu cálculo de ROI para o digital signage. Outros fatores, o risco de danificação da peça, atrasos, afinal é um grande desafio para um varejista nacional garantir que toda rede comece uma nova campanha na mesma data, creio que, o tema logística é um dos itens mais sensíveis neste processo.
  • Atendimento: considerei interessante nessa situação real que vive no MC Donalds, que ainda permanece o atendimento padrão, com pessoa. Sendo assim, comprar direto do totem, é uma decisão do consumidor que passa a ter escolha do que é melhor. No meu caso, optei pelo Totem, que tinha menor fila. E pude ver que a marca ganha uma proximidade com seu consumidor, que começa a fazer parte do atendimento. Acho que você não entendeu nada… deixa eu explicar melhor… Precisei de ajuda, era a minha primeira vez e, quem ajudou? A pessoa que havia feito a compra na minha frente, foi um prazer para ela, me pareceu que ela se sentia confiante, em saber algo que eu não sabia, e feliz pela oportunidade em ajudar. Consequentemente, eu fiz a mesma coisa com a pessoa que estava atrás de mim. Ou seja, o estabelecimento, de forma natural, ganhou uma equipe de suporte no atendimento que não tem salário e ainda apoia no lucro porque consome seu produto! Uauuuu é uma fórmula mágica, concorda?
  • Experiência: você pode achar o que quiser, mas não pode negar que é uma nova experiência, e os consumidores adoram novidades, adoram ser surpreendidos com novas opções de compras e atendimento. A Era é da Experiência, ou você acha que ainda vivemos no marketing antigo da repetição de dois hamburguers, alface, num molho especial? O marketing de deixar sua marca na cabeça com repetição funciona mas é caro e leva tempo, especialmente comparado com telas, cores, movimentos que é o que faz a cabeça hoje da população. Não sei onde você está agora, lendo este artigo, mas olhe para os lados, aposto que a maioria das pessoas estão olhando para uma tela AGORA, inclusive você!

Evolução através do tempo

 

Para sua cultura, nossa primeira tela foi o cinema, a 2a tela a TV, a 3a os computadores, a 4a os Mobiles (smartphone e tablet) e, finalmente a era que estamos vivendo, a 5a tela: o digital Singage.

  • Customização: oportunidade de customizar campanhas regionais facilmente, novamente, voltando ao processo de atualização de campanha e promoções com a tecnologia é através de um clique, compare com o processo físico. Imagina o carinho que a marca pode proporcionar, divulgando informações especificadas, como por exemplo, o aniversário de uma cidade. Novamente, a imaginação e o limite. E, sinceramente, gostaria de saber como você tem personalizado o atendimento do seu cliente? #reflita #inove #fidelize.Se você não fizer, a concorrência vai fazer.
    Aposto que há outros itens de benefícios que você ao ler a matéria percebeu! Adoraria que me contasse! Deixe seu comentário, por favor! Vamos elevar o nível desta discussão com a sua participação!  Combinado?

Agradeço a atenção e interesse.

Grande abraço!

Thelma Troise

Idealizadora Tudo Sobre IoT

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Classifique:
5/5

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

congresso Tudo sobre IoT

Internet das Coisas

O IoT tem como objetivo permitir uma melhor relação entre o mundo físico (as coisas), o mundo biológico (nós) e o mundo digital (a computação).

Inscreva-se em nossa newsletter