EdgeAI e TinyML, explorando AI na borda

EdgeAI e TinyML, explorando AI na borda

A computação de borda (#EdgeComputing) oferece novas possibilidades em aplicativos de #IoT, especialmente para aqueles que contam com aprendizado de máquina (#ML) para tarefas como detecção de movimentos, objetos e poses, reconhecimento de imagens (e faces), processamento de linguagem e prevenção de obstáculos.
Os dados de imagem são uma excelente adição à IoT, mas também um consumidor significativo de recursos (como energia, memória, processamento, infra de telecom etc).
O processamento de imagens “at the Edge”, executando modelos clássicos de #AI / ML, é uma oportunidade para trazer mais inteligência as coisas conectadas!
Pauta:
– Transformando dados em valor: IOT + AI
– O que é o Edge (computing)?
– “AI no Edge“
– Redes Neurais
– Dispositivos para EdgeAI e TinyML
– TensorFlow-Lite: plataforma aberta da Google para Machine Learning
– Exemplos práticos: como fazer
– Perguntas e Respostas
A aula é conduzida por Marcelo Rovai.
Rovai é Paulista e Engenheiro pela Universidade Federal de Itajubá, MG e Mestre em Data Science pela Universidade del Desarrollo (UDD).
Desde sua infância é um apaixonado pela eletrônica,tendo trabalhado como professor, engenheiro e executivo em diversas empresas na área de tecnologia como AVIBRAS Aeroespacial, SID Informática, ATT-GIS, NCR, DELL, COMPAQ e mais recentemente na IGT onde continua como Senior Advisor.

Hoje, Marcelo vive com sua esposa Ilza em Santiago do Chile, onde se dedica em compartilhar ideias no campo da Eletrônica, IoT, Physical Computing, Data Science, Computer Vision e Robótica.
Participa como expert do Tudo Sobre IoT desde 2017.

Contamos com a sua presença!

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Classifique:
5/5

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

congresso Tudo sobre IoT

Internet das Coisas

O IoT tem como objetivo permitir uma melhor relação entre o mundo físico (as coisas), o mundo biológico (nós) e o mundo digital (a computação).

Inscreva-se em nossa newsletter