Como não fracassar com a Internet das Coisas?

COMO NÃO FRACASSAR COM A INTERNET DAS COISAS?

Primeiramente, entender que IoT não é um produto!

A Internet das Coisas é um conceito tecnológico para que objetos possam estar conectados em rede, agindo de modo inteligente e sensorial.

Segundo, entender a sua importância, o IoT é potencialmente relevante para solucionar problemas reais de negócios e explorar novas oportunidades.

Terceiro, compreender que a Internet das Coisas vem para eliminar as barreiras de interação entre o mundo biológico (nós), mundo digital (a computação) e as Coisas (material, físico).

Quarto, conscientizar que as inovações provocadas pelo IoT mudarão a forma de como vivemos e nos relacionamos. E muda para melhor, na minha visão, confira:

inovações provocadas pelo IoT

 

 

1- Sustentabilidade: sabemos que nossos recursos são finitos, ao conectar objetivos, temos como controle e monitoramento para melhor gestão e otimização destes.

2- Evolução: a oportunidade de criarmos, para evoluirmos como seres humanos e avançar a nossas capacidades. A evolução do mundo.

Tarefas repetitivas que são executadas sem nenhuma inteligência serão substituídas por máquinas (graças a Deus!). E sim, serão exigidas novas competências para as novas demandas, belo incentivo ao estudo. Concorda?

3- Descobertas: passaremos a ter informações de novos dados que até então eram inexistentes. Isto permitirá novas descobertas. Percebo que na implantação de projetos IoT, é sempre encontrado boas surpresas ou, no mínimo, traz a realidade, aquela visão do “acho que é assim”, cai por água abaixo, porque quanto a números e fatos não há argumentos que se sustente.

argumentos que se sustente

 

4- Segurança: Embora o IoT ainda tenha o grande dilema que é a segurança dos dados, muitos serviços, especialmente ligado a cidades inteligentes, casas inteligentes e rastreamento de pessoas, permitirá um Brasil mais seguro. Por que até quando vamos tolerar o medo do perigo?

5- Saúde: e, para mim, a área que terá mais revolução. É uma calamidade o setor de saúde na maior parte do Brasil. A tecnologia irá trazer agilidade, permitir tratamentos com acompanhando on line sem estar no hospital (dependendo da situação), segurança (hoje já há gases conectadas para garantir que não fique material dentro do paciente numa cirurgia), avanço em pesquisas (todo país pode compartilhar as pesquisas no desenvolvimento, por exemplo, de nova vacina, facilitando e eliminando etapas para outros), a atenção do médico ao paciente, já que este terá mais tempo (assim espero!).

6- Agricultura: é o setor que será mais transformado, hoje é muito pouca a adoção de tecnologia, com a facilidade e possibilidade de conectar áreas remotas, um novo mundo surge no setor. Vale um livro só sobre o assunto.

7- Comodidades: Hoje estamos cada vez mais sem tempo, ter o e-mail no celular, a ajuda no Waze já dá aquela força, imagina quantos novos serviços podemos ter acesso?! Porque não é só a “coisa” do celular que estará conectado, outros objetivos que usamos ou cruzamos no dia a dia, são potenciais para ter inteligência. A sua criatividade é o limite! O resultado, será mais tempo para nós, para interagirmos além do digital (torço por isso ;-))

8- Economia: Lógico se esse item não estivesse na lista, talvez nem estivéssemos aqui discutindo IoT, o que impulsa e dá prioridade as organização é o que trará resultado palpáveis em economia. É o investimento que traz retorno, se aplicado com responsabilidade.

Economia

 

9- Otimização de Processos: vou citar o exemplo do que o Google faz por nós, é trazer inteligência, prever, se antecipar e surpreender. Como eu adoro quando recebo pronto, sem pedir, sem até pensar em querer, aqueles movies do Google Fotos, identifica as pessoas que estavam comigo, o lugar e só com cliques, guia perfeitamente como posso usar o material produzido.

Agora que estamos alinhando com o básico, compartilho com vocês uma informação divulgada pelo Gartner:

Otimização de Processos

 

Confesso que fiquei surpresa com este número!

A recomendação, para que o seu projeto não falhe é seguir o exemplo dos projetos que estão sendo bem sucedidos e, estes, se baseiam em 2 pilares:

 

  • IoT proporcionando maior eficiência e eficácia
  • IoT oferecendo produtos e serviços novos e aprimorados

Trazendo em aplicações práticas a citação do primeiro item deste artigo a ser entendido:

Concentre-se nos resultados de negócios, não nas tecnologias do IoT

Nesse sentido, aumente o valor do seus negócios com IoT, traga clareza para a situação atual do seu negócio. Avalie:

Nesse sentido, aumente o valor do seus negócios com IoT, traga clareza para a situação atual do seu negócio. Avalie:

Internamente:

  • Recursos
  • Equipe

Externamente:

  • Clientes
  • Produtos

 

Sabe aquele ditado: “o simples é mais”, não é necessário ser radical em querer implementar o mundo ideal para resolver tudo de uma vez só, comece com o que traz resultado imediato e esteja palpável para sua realidade atual.

Reflita hoje, como você pode começar, para dar o primeiro passo que acrescente valor real na sua operação ou produto de como funciona hoje. Você deve pensar em projetos grandiosos e até considerar, porém, comece pequeno. O risco é menor.

Lembre-se de que estamos tratando algo inusitado, o IoT é relativamente novo.

Não planeje demais o PoC*, coloque o PoC na rua, para errar mais rápido e poder se adaptar considerando a realidade no campo de batalha.

*PoC – prova de conceito

O ponto chave é ter flexibilidade para poder sempre redirecionar a rota, não vale só o plano B. Tem que ter o plano B, C e até onde você conseguir enxergar. Tenho convicção que o mover-se rapidamente te coloca há um passo à frente e, você só conseguirá se manter no topo, se contemplou em seu projeto, a contemporização.

Para exemplificar, no desenvolvimento de um produto físico, ter a arquitetura de design/engenharia é um custo considerável, para ser assertivo e otimizar recursos para a evolução do produto, tem que se pensar numa engenharia que contemple modularidade nas versões, aproveitando este desenvolvimento, para só tirar ou incluir (novos sensores, por exemplo), sem ter que estar alterando ou criando uma nova “planta”.

Já no desenvolvimento de sistemas e plataformas, a assertividade vai em linha para sistemas distribuídos. É mais complexo do que um sistema centralizado, porém, te deixa pronto para crescer e minimiza o fracasso de um projeto.

Decidido os pontos acima, é necessário uma atenção especial, para evitar que os objetivos de negócios se distancie do trabalho de TI/Engenharia/MKT e vice-versa, afinal, negócios e tecnologia andam de mãos dadas, não se arrisque em fazer diferente.

Unir toda empresa com o mesmo propósito é uma etapa que não deve ser descartada, os colaboradores da área A, tem uma visão que não é a mesma da área B e juntar isso é ganho de valor. Veja, você quer conectar coisas e obter novas informações que são a base do IoT mas só faça se for capaz de primeiro conectar toda equipe! É uma ótima oportunidade para também ajustar a cultura da empresa. Não restrinja aos colaboradores, seus parceiros podem fazer deste processo.

Não seja deixado para trás por seus concorrentes – não fazer nada não é uma opção. Aconselho, se ainda não começou, que faça AGORA mesmo.

AGORA mesmo

 

Estes 3 itens, são atribuídos como as três principais razões para Projetos de Internet das Coisas que falham, segundo o Gartner.

Fonte: Gartner IoT Strategies Survey 2017, realizado entre jun-ago 2017 para obter informações sobre tendências entre os adotantes da IoT. 717 representantes de organizações na Alemanha, Japão, Reino Unido e EUA completaram a pesquisa. Os entrevistados eram participantes ativos em seus processos de criação de decisões de IoT da organização. Uma boa representação das indústrias e tamanho da empresa foi mantida. Base: Sim, IoT projects falhou, Excluindo quem responde “não sei” n = 179. A pergunta foi: “Pensando nos Projetos de IoT que falharam, quais foram alguns dos motivos de sua falha?” Respostas codificadas.

Para minimizar o risco de falhas:

Pesquise parceiros, não somente parceiros de tecnologias, parceiros que já fazem parte da organização e novos parceiros de negócios.

Se junte a grupo que fazem o IoT, o Tudo Sobre IoT é um deles. Nas comunidade as pessoas estão dispostas a se ajudar, a se apoiar, a revelar o que está dando certo e o que não está e, principalmente, discutir, tirar dúvidas, ensinar e aprender.

Saia do achismo que é muito caro, que não tem ainda tecnologia suficiente no Brasil ou fornecedores. Pesquise, estude, coloque no papel! Você vai se surpreender!

Complemente no artigo novos itens que fizeram a diferença para que seu projeto não falhasse, deixe seu comentário.

Obrigada pela sua atenção.

Grande abraço!

 

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Classifique:
5/5

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo

congresso Tudo sobre IoT

Internet das Coisas

O IoT tem como objetivo permitir uma melhor relação entre o mundo físico (as coisas), o mundo biológico (nós) e o mundo digital (a computação).

Inscreva-se em nossa newsletter